Pré Candidata

Pré Candidata
Deputada Estadual

TJ bloqueia operação financeira que viabilizaria R$ 2 bilhões ao governo de Minas

TJ bloqueia operação financeira que viabilizaria R$ 2 bilhões ao governo de Minas

Decisão tem caráter temporário e Advocacia-Geral do Estado já informou que vai recorrer

FAFlávia Ayer

postado em 11/07/2018 20:07 / atualizado em 11/07/2018 21:23

 

(foto: Rodrigo Clemente/EM/D.A Press)

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais concedeu liminar que suspende a operação financeira que viabilizaria R$ 2 bilhões ao governo de Minas. A decisão, de caráter temporário, do desembargador Wilson Benevides, bloqueia a venda de debêntures emitidas pela MGI à Codemig, por meio de empréstimo no mercado financeiro. A Advocacia-Geral do Estado vai recorrer contra a liminar. 

 

Continua depois da publicidade

O desembargador concordou com o entendimento do deputado Gustavo Valadares (PSDB), autor do pedido. Para o parlamentar, o estado estaria recorrendo a uma triangulação para contrair empréstimo. Ele defende que o procedimento, além de vedado no fim do mandato, também precisaria passar pelo aval do Legislativo. O mecanismo estaria sendo usado para burlar a legislação.

 

“Assim sendo, como bem pontuou o autor da ação popular, há risco da operação aqui arquitetada ter sido constituída, em verdade, para burlar a Constituição Federal e a LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal)”, escreveu na decisão. O magistrado também indicou que a sua continuidade do procedimento “poderá colocar em xeque o patrimônio das empresas estatais, as quais, ao que parece, estão sendo 'sacrificadas' pelo ente que as instituiu para solucionar a carência de recursos da Administração Direta”.

 

Na sessão plenária de ontem, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputados discutiram a operação financeira. De acordo com o líder de governo, Durval Ângelo (PT), o governador Fernando Pimentel autorizou emenda que torna de aplicação exclusiva em educação, segurança e saúde os recursos da operação da Codemig. A proposta havia partido do deputado da oposição, Gustavo Corrêa (DEM).

 

Em nota, o deputado Gustavo Valadares (PSDB) disse que "a decisão liminar do Tribunal de Justiça reconhece que a operação envolvendo a MGI e a Codemig para captar R$ 2 bilhões é fraudulenta. No agravo de instrumento apresentamos a ata da reunião da Codemig, uma prova incontestável de toda a manobra.

Segundo o próprio desembargador Wilson Benevides, e usando suas palavras, está muito claro que se trata de uma operação casada, arquitetada previamente pelo governo para travestir uma operação indireta de crédito". 

 

O assunto tem sido alvo de uma batalha jurídica e também foi parar no Tribunal de Contas do Estado (TCE). Em 18 de junho, o governo de Minas havia conseguido decisão favorável a um mandato de segurança impretado pelo estado autorizando a operação.

Compartilhar:
← Anterior Proxima  → Página inicial

Conheça a CPO

Siga no facebook

Siga no facebook
Clique

.

.

Seguidores

Google+ Blog da Renata

.

.

Popular Posts

Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

Policiais civis de Lavras denunciam precariedade no sistema prisional da cidade

Policiais civis de Lavras denunciam precariedade no sistema prisional da cidade Presos não estão sendo transferidos para os presídios e agu...

Pesquisar este blog

Pages - Menu