PM instaura inquérito sobre agressões de policiais a homem nu

PM instaura inquérito sobre agressões de policiais a homem nu em Porto Alegre | Rio Grande do Sul

6 de Fevereiro de 2018 Rio Grande do Sul

Homem nu aparece nas imagens sendo agredido por um policial na Zona Sul de Porto Alegre (Foto: Reprodução)

A Brigada Militar instaurou um inquérito policial militar para apurar as circunstâncias de uma ação de quatro policiais, que aparecem em um vídeo agredindo e dando um disparo com bala de borracha em um homem que estava nu. O fato aconteceu no último sábado (3) na Zona Sul de Porto Alegre.

Segundo a Brigada Militar, por volta das 16h, uma equipe foi atender a um chamado de moradores na Estrada Costa Gama, nas proximidades do bairro Restinga. Lá, havia um homem nu ameaçando agredir pessoas. De acordo com o capitão Alex Mori, do 1º Batalhão de Polícia Militar (BPM), ele já havia agido dessa forma em outras ocasiões.

“A guarnição foi solicitada a comparecer ao local em virtude de que o cidadão estava nu se jogando em frente aos carros, um fato reincidente”, disse o policial.

O vídeo começa com o homem sem roupas discutindo e tentando agredir policiais. Um dos PMs, com uma arma em punho, acerta a coxa direita do homem com um tiro de bala de borracha, que começa a sangrar. Depois que o homem para no meio da rua, um dos PMs tenta, sem sucesso, acertar a cabeça dele com um cassetete. Ele escapa, mas, em outro momento, é derrubado por um dos soldados com um chute pelas costas. Depois, é imobilizado pelos policiais.

Um dos PMs acertou um tiro de bala de borracha na coxa direita do homem nu (Foto: Reprodução)

O homem foi encaminhado ao Hospital de Pronto-Socorro (HPS), onde recebeu atendimento. Depois, foi levado ao Palácio da Polícia, onde assinou termo circunstanciado por desobediência e ato obsceno.

Sobre a ação da polícia, o capitão disse que foi adequada, e o tiro e as agressões foram justificados porque o homem nu tentou tomar a arma de um dos PMs. “A guarnição agiu daquele procedimento em virtude dele ter tentado pegar a arma do policial, fato que já causou mortes de policiais militares em todo o país”.

Ainda assim, o caso será investigado no inquérito policial militar, que tem prazo de 40 dias, prorrogáveis por outros 20. “Se o encarregado do inquérito vislumbrar a possibilidade de um delito, pode encaminhar ao Ministério Público, para ver se oferece denúncia na Justiça Militar”, explicou Mori.

Fonte: g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/pm-instaura-inquerito-sobre-agressoes-de-policiais-a-homem-nu-em-porto-alegre.ghtml

Compartilhar:
← Anterior Proxima  → Página inicial

.

.
.

Conheça a CPO

Siga no facebook

Siga no facebook
Clique

.

.

Seguidores

Google+ Blog da Renata

.

.

Popular Posts

Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

Pesquisar este blog

Pages - Menu